Prisão de ventre: o que piora o incômodo e como evitar

0
570
prisão de ventre

Confira dicas da nutricionista da Bio que vão ajudar seu intestino a funcionar como um relógio e prevenir a prisão de ventre!

A maioria das pessoas, alguma vez na vida, já enfrentou problemas com o sistema digestivo. Mas para uma parcela da população, lutar para ir ao banheiro infelizmente é frequente na rotina — acontece por conta da prisão de ventre.

Ao contrário do que muita gente pensa, a constipação, como também é chamada, não é apenas a característica de não evacuar todos os dias. Dores constantes, fezes endurecidas e necessidade de fazer muito esforço também significam prisão de ventre.

A nutricionista Fúlvia G. Hazarabedian, head do programa Bio Nutri, conta que as mulheres são mais suscetíveis ao inconveniente. “O que pode estar associado a questões culturais (vergonha de ir em banheiros públicos, por exemplo), ou até hormonais do ciclo menstrual, que impactam diretamente o fluxo intestinal”, explica.

Os principais fatores que contribuem para a piora da questão incluem baixa ingestão de água no dia a dia, alimentação pobre em fibras e desequilíbrios na flora intestinal — ou seja, disbiose, quando há mais microorganismos ruins do que bons no trato digestivo, ou então pouca diversidade e quantidade de bactérias no órgão. “A disbiose é causada por estresse, má qualidade do sono, sedentarismo, uso contínuo de medicamentos (principalmente antibióticos) e alto consumo de açúcares, farinha branca, frituras e bebidas alcoólicas”, diz Fúlvia.

Veja o que consumir para evitar a prisão de ventre, segundo a nutricionista:

Alimentos para a prisão de ventre

1 – Água

O líquido contribui para a lubrificação das paredes do intestino e deixa o bolo fecal menos endurecido, o que facilita sua a passagem pelo sistema digestivo. A ingestão recomendada por dia é de cerca de 35 ml para cada quilo que você tem.

2 – Verduras, legumes e frutas in natura

Esses alimentos contêm grandes quantidades de água e fibras. A combinação acelera o trânsito intestinal e promove mais saciedade. A OMS aconselha consumir cinco porções de frutas, verduras e legumes variados por dia!

3 – Cereais integrais

Quinoa, centeio e trigo (em grãos) são exemplos de cereais integrais fontes de fibras. Especialistas falam em no mínimo 48g diárias (três porções) para garantir os benefícios desses alimentos.