Como conciliar dieta low carb e treino?

0
622
Dieta low carb e treino

Perguntamos a uma especialista se a redução dos carboidratos do cardápio pode atrapalhar o rendimento. Veja o que ela respondeu sobre a dieta low carb e treino

A dieta low carb ficou famosa anos atrás. Contudo, até hoje as pessoasapostam nela para emagrecer. “Nessa estratégia alimentar, há a redução do consumo de carboidratos (pães, massas, cereais, tubérculos, frutas e doces). Ou seja, minimizamos a produção de glicose pelo corpo, o principal nutriente que nos fornece energia”, explica a nutricionista Fúlvia G. Hazarabedian, head do programa Bio Nutri.

Ao diminuí-los do cardápio, precisamos aumentar a ingestão de proteínas e gorduras boas para manter o organismo funcionando. Fúlvia afirma que, na dieta low carb, a ingestão diária de carboidratos não deve passar de 20% — o valor de uma alimentação convencional fica entre 50% e 55%. “Contudo, apenas 10% de redução no consumo já traz efeitos benéficos.”

Se você adotar esse plano, também precisa trocar o açúcar e a farinha refinada por suas versões integrais. Isso porque os alimentos integrais são de baixo índice glicêmico (o que faz a glicose ser absorvida em velocidade mais lenta, evitando picos de insulina no sangue).

Como funciona?

Todas as mudanças citadas acima obrigam o nosso corpo a utilizar a gordura estocada como combustível. “Com a redução dos carboidratos, a glicose fica menos disponível no organismo, que, por sua vez, passa a queimar a gordura armazenada para gerar energia, levando à perda de peso”, afirma a especialista.

Leia mais: 6 combinações práticas e simples para o pós-treino

Com menos picos de insulina, nosso apetite diminui, assim como a vontade de um docinho. Ponto para a diminuição dos triglicerídeos e para a melhora dos níveis de colesterol bom! Sem contar que digerir proteínas exige muito mais energia do corpo do que a quebra dos carboidratos. Como resultado, há a aceleração do metabolismo e o aumento da saciedade.

Dieta low carb e treino

Bom, mas se os carboidratos são a principal fonte de energia rápida do corpo, excluí-los da alimentação pode influenciar o desempenho? Fúlvia diz que, em atletas que praticam atividades de resistência aeróbica (como a corrida e ciclismo), estudos mostram que não — desde que feitas corretamente.

“Já para sessões de força, também é possível adotar a dieta low carb, porém nem sempre será a melhor opção. Principalmente se o objetivo for o ganho de massa muscular”, afirma. Nesse caso, ela defende uma combinação mais equilibrada de proteínas de alto valor biológico (frango, peixes, ovo), gorduras boas (abacate, castanhas) e carboidratos complexos (batata-doce, inhame, mandioca).

Cuidados

A estratégia alimentar tem que ser feita com muita atenção. “É preciso acompanhamento nutricional. Se, por exemplo, a quantidade calórica aumentar, a pessoa pode ganhar peso”, afirma Fúlvia. Pessoas diabéticas, portadores de doenças cardiovasculares e quem apresenta pedras na vesícula ou colesterol alto precisam evitar a dieta low carb.